Área: Cardiologia Intervencionista

Paciente: masculino, 53 anos

Antecedentes Pessoais: Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS), dislipidemia.

Quadro Clínico:
Dor torácica irradiada para mandíbula associada a sudorese fria e dispneia, desencadeada enquanto dançava com a sobrinha.

Eletrocardiograma (ECG) na admissão: ritmo sinusal, supradesnivelamento do segmento ST 2 mm nas derivações DII, DIII E AVF. Foi medicado com AAS 100 mg, Clopidogrel 300 mg, Enoxiparina 80 mg e Nitroglicerina endovenosa.

O paciente foi encaminhado para o laboratório de Hemodinâmica e submetido a uma cinecoronariografia, que evidenciou artéria coronária direita ocluída em seu terço médio (Fig. 2-1); artéria descendente anterior com lesão severa em seu terço proximal. (Fig. 2-6)


Fig. 2-1


Fig. 2-6

Foi então submetido a uma angioplastia primária da artéria coronária direita, sendo posicionada corda guia e realizada tromboaspiração manual com catéter Export. (Fig. 2-2)


Fig. 2-2

Imediatamente após foi evidenciada a recanalização do vaso, com presença de lesão residual e trombose intraluminal em terço médio e porções distais deste vaso. (Fig. 2-3)


Fig. 2-3

Iniciado Tirofiban endovenosso e realizado implante de stent Kinetic 4,0 x 18 mm no terço médio da coronária direita. (Fig. 2-4)


Fig. 2-4

Aspecto final do procedimento sendo observada a recanalização do vaso e fluxo TIMI III. Notou-se presença de embolização distal no ramo ventricular posterior da coronária direita. (Fig. 2-5)


Fig. 2-5

Na mesma internação, cinco dias após a angioplastia primária para coronária direita, o paciente foi submetido a uma angioplastia com stent Xience 3,0 x 12 mm no terço proximal da descendente anterior. (Fig. 2-6, Fig. 2-7, Fig. 2-8)


Fig. 2-6


Fig. 2-7


Fig. 2-8

Operador: Dr. Luiz Cláudio Mendes Carvalho