O que é?
A Quimioembolização Hepática é utilizada no tratamento paliativo do tumor primário de fígado e das metástases hepáticas, sendo as mais comuns: tumores colorretais, melanoma, tumores neuroendócrinos. Tumores metastáticos não responsivos à quimioterapia sistêmica convencional poderão ser tratados com quimioembolização mesmo quando acometem grande parte do parênquima hepático.

O que acontece antes do procedimento?
O paciente será acompanhado pelo corpo de enfermagem, que irá questionar sobre os antecedentes de doenças, medicações de uso regular e alergias.

Como é realizado o procedimento?
É um procedimento minimamente invasivo realizado através de uma punção arterial na região inguinal e com introdução de cateteres até o local de tratamento, com a infusão de quimioterápicos e partículas embolizantes. Com isso, tem-se um efeito duplo contra o hepatocarcinoma (HCC): a toxicidade da droga induzida em alta concentração e a isquemia do tumor pela oclusão arterial provocada pela embolização.

Quem o realiza?
Médico Radiologista Intervencionista com treinamento específico.

Quando a Quimioembolização é indicada?
A Quimioembolização Hepática (TACE) tem como principais indicações: impossibilidade de ressecção cirúrgica, ausência de resposta à quimioterapia sistêmica e metástases limitadas ao fígado, ou, quando, apesar da doença metastática não estar limitada ao fígado, a presença da doença hepática é o principal fator de morbidade do paciente.

Onde é realizado?
No Laboratório de Hemodinâmica e Radiologia Intervencionista do Instituto Santista de Hemodinâmica (ISH).

Qual é a duração do procedimento?
A duração média do exame é de 1 hora e 30 minutos. Porém, em alguns casos, o procedimento poderá durar mais tempo, em virtude da dificuldade técnica do exame (ex.: variações anatômicas, etc). Após seu término, o paciente deverá ficar observação na UTI por 24 à 72 horas. Evitará fazer esforços físicos, carregar peso e dirigir por 07 dias após o exame.