O que é?
É um exame diagnóstico invasivo, que pode ser realizado de forma eletiva (com agendamento prévio) ou em casos de emergência (pacientes com quadro clínico de infarto agudo do miocárdio). O objetivo deste exame é diagnosticas a presença de obstruções das artérias coronárias, avaliar o funcionamento das válvulas e do músculo cardíaco e realizar medidas de pressão nas cavidades do coração.

O que acontece antes do exame?
Ao chegar à recepção, um funcionário realizará o seu cadastro e verificará a autorização do exame. Em seguida, será entregue um Termo de Consentimento que deverá ser assinado pelo paciente e/ou seu responsável legal, estabelecendo assim a conformidade e a autorização para realização do procedimento. O paciente e/ou responderá a um questionário sobre os antecedentes patológicos, medicações de uso regular e alergias.

Como é realizado o exame?
O exame é realizado sob anestesia local e poderá ser feito através de punção de uma artéria e/ou veia da perna ou braço. Em seguida, são introduzidos cateteres especiais, guiados até o coração, por meio de um equipamento especial de Raios-X. Posteriormente, são realizadas injeções de contraste, através dos cateteres, para a visualização da artérias coronárias, das valvas cardíacas e das câmaras do coração.

Quem realiza o exame?
Médicos cardiologistas com treinamento específico em Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista.

Quando o cateterismo é indicado?

O exame é indicado para confirmar a presença de obstruções nas artérias coronárias, doenças das valvas cardíacas e músculos do coração, avaliar e detectar doenças da aorta e dos vasos pulmonares.

Onde o procedimento é realizado?
No Laboratório de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista do Instituto Santista de Hemodinâmica (ISH).

Qual é a duração do exame?
A duração média do exame é de 20 a 30 minutos. Porém, em alguns casos, o procedimento poderá durar mais tempo, em virtude da dificuldade técnica do exame (ex.: variações anatômicas, pacientes revascularizados etc).

Quais são os riscos do cateterismo?
Por se tratar de um exame invasivo, é natural que o exame apresente riscos. As complicações mais graves, como infarto agudo do miocárdio, acidente vascular cerebral e sangramento no local da punção são raras, com risco de ocorrência inferior a 1%. Outros riscos, devido ao uso de contraste, como alergia, arritmias e insuficiência renal, também podem ocorrer. Como descrito, tais complicações são raras e o exame é realizado por uma equipe médica altamente especializada e qualificada, com preparo para atender a qualquer tipo de complicação.

O que acontece após o cateterismo?

O introdutor é retirado do sítio de punção e é feita compressão manual por cerca de 15 a 20 minutos. Logo após, é realizado um curativo compressivo local e o paciente é encaminhado para a sala de repouso, onde permanecerá por um período de quatro a seis horas. Com a alta do paciente para a sua residência, será obrigatório o acompanhamento de um responsável. Após o exame, o cardiologista intervencionista entrará em contato com o médico assistente do paciente para discussão da melhor estratégia terapêutica para o paciente.